Pesquisar

Carregando...

Emissões do Brasil em 2010

10 de janeiro de 2010


1 - Corrida de Reis - Várzea Grande/Cuiabá - Mato Grosso

SOBRE O SELO

O selo apresenta uma imagem estilizada da tradicional Corrida de Reis, realizada anualmente no Estado de Mato Grosso, entre Várzea Grande e Cuiabá, a capital estadual. É reproduzido o momento da largada, que ocorre próxima à Ponte Sérgio Mota, naquele município da Grande Cuiabá. No canto superior direito, é mostrada uma medalha de premiação dos atletas. Foram utilizadas as técnicas de ilustração vetorial e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 1
Artista: Silvania Branco
Processo de Impressão: Offset, folha com 24 selos
Papel: Cuchê gomado sem fosforescência
Valor facial: R$ 0,70
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 54mm x 20mm
Dimensões do selo: 59mm x 25mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 10/1/2010
Locais de lançamento: Cuiabá e Várzea Grande/MT
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2012
Código de comercialização: 852008392
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
1° de março de 2010


2 - Centenário de Nascimento do Presidente Tancredo de Almeida Neves

SOBRE O SELO

O selo focaliza o Presidente Tancredo de Almeida Neves entre a bandeira de seu Estado, Minas Gerais, à esquerda, e o mapa do Brasil junto ao Brasão da República, à direita. Como pano de fundo, uma vista parcial de prédios históricos de São João del-Rei, sua cidade natal, que singulariza a essência de sua vida pública, marcada pela autenticidade e atuação conciliadora. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 2
Artista: Ricardo Cristofaro
Processo de Impressão: Offset, folha com 25 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 39mm x 21mm
Dimensões do selo: 44mm x 26mm
Picotagem: 11 x 11,5
Data de emissão: 1º/3/2010
Local de lançamento: Belo Horizonte/MG e São João del-Rei/MG
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852008449
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
24 de março de 2010


3 - Emissão Mercosul:
2001 – 2010 / Década da Cultura de Paz - Homenagem a Zilda Arns

SOBRE O SELO

Em primeiro plano, à direita, uma imagem da Drª. Zilda Arns, pediatra e sanitarista, criadora da Pastoral da Criança, exibindo o inconfundível sorriso que sempre a caracterizou. O desenho de um coração, ao fundo, simboliza o amor, a dedicação e o carinho com que a homenageada realizou suas obras sociais, conquistando a admiração de todos os brasileiros. Sobrepostas àquela imagem, as logomarcas da Pastoral da Criança e do Mercosul. No canto inferior esquerdo, silhuetas de pessoas comuns que prestam homenagem à saudosa médica. Foram utilizadas as técnicas de desenho e pintura em mesa digitalizadora.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 3
Artista: Thereza Regina Barja Fidalgo
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado sem fosforescência
Valor facial: R$ 1,45
Tiragem: 600.000 selos
Área de desenho: 35mm x 25mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 24/3/2010
Locais de lançamento: Curitiba/PR e Forquilhinha/SC
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852008511
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
2 de abril de 2010


4 - Centenário do Nascimento de Francisco Cândido Xavier

SOBRE O SELO

O selo apresenta "Chico Xavier" autografando um dos seus livros. Como pano de fundo, há o detalhe de uma carta psicografada pelo médium. Em destaque, a inscrição e uma bela frase por ele proferida que mostra a essência de sua obra e de seus ensinamentos em prol da evolução do ser humano por meio do amor ao Cristo e ao próximo. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 4
Foto: Rômulo Fernando Fialdini
Arte-finalização: Míriam Guimarães
Processo de Impressão: offset, folha com 30 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: 1º Porte Carta Comercial
Tiragem: 600.000 selos
Área de desenho: 25mm x 35mm
Dimensões do selo: 30mm x 40mm
Picotagem: 12 x 11,5
Pré-lançamento: 19/3/2010
Local de pré-lançamento: Uberaba/MG
Data de emissão: 2/4/2010
Locais de lançamento: Pedro Leopoldo/MG, Brasília/DF, São Bernardo do Campo/SP e Uberaba/MG Peça fitalélica: cartão-postal
Tiragem: 8.000 cartões-postais
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional.)
Versão: Departamento de Filatelia e Produtos/ECT.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
21 de abril de 2010


5 - Série Brasília – Sonho e Realidade:
Monumentos e Arquitetura
(50 anos da inauguração de Brasília)

SOBRE OS SELOS

Os selos reproduzem seis obras da artista plástica Júlia dos Santos Baptista. As imagens, em cores vibrantes, mostram, estilizadamente, monumentos arquitetônicos de Brasília, recriados, em óleo sobre tela, por meio da série de obras intitulada Brasília em Cores: “Memorial JK”, “Dois Candangos no Cerrado”, “Catedral de Renda de Brasília”, “Igrejinha”, “Alvorada Brasília” e “Congresso e Ipê Amarelo”. As telas foram inspiradas no patrimônio arquitetônico de Brasília, com imagens que compõem o universo pictórico do cotidiano brasiliense. As cores usadas são aquelas presentes na paisagem local: o ocre do cerrado, as diferentes nuances do vermelho, o azul do céu, o cinza do concreto armado, e exaltam, em suas tonalidades e simbologia, as etnias formadoras da identidade humana de Brasília. Foi utilizada a técnica de fotografia.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 5
Artista: Júlia dos Santos Baptista
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: 1º Porte Carta Comercial
Tiragem: 1.020.000 selos
Área de desenho:
Memorial JK, Dois Candangos, Alvorada Brasília, Congresso e Ipê: 30mm x 40mm
Catedral e Igrejinha: 40mm x 30mm
Picotagem: 12 x 11,5
Dimensões do selo:
Memorial JK, Dois Candangos, Alvorada Brasília, Congresso e Ipê: 25mm x 35mm
Catedral e Igrejinha: 35mm x 25mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 21/4/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Peça Filatélica: Cartão-postal (5 modelos)
Tiragem: 15.000 cartões-postais
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional)
---------------------------------------------------------------------------------------
  23 de abril de 2010


6 - Série Arquitetura e Festas Religiosas:
350 Anos do Mosteiro de São Bento de Sorocaba/SP

SOBRE O SELO

O selo reproduz a obra "Mosteiro de São Bento de Sorocaba", óleo sobre tela, da artista plástica Sônia Vrubleski. A imagem mostra a fachada do prédio que abriga o citado Mosteiro, que está completando seu 350º aniversário de fundação, e evoca, por meio de suas formas arquitetônicas, a simplicidade e a solidez, típicas das construções do período colonial brasileiro. Foi utilizada a técnica de fotografia.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 6
Arte: Sônia Vrubleski
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: 1º Porte Carta Comercial
Tiragem: 300.000 selos
Área do Desenho: 25mm x 35mm
Dimensões do Selo: 30mm x 40mm
Picotagem: 12 x 11,5
Data de emissão: 23/4/2010
Local de lançamento: Sorocaba/SP
Peça Filatélica: Cartão-postal
Tiragem: 4.000
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Código de comercialização: 852008350
------------------------------------------------------------------------------------
 10 de maio de 2010
 

7 - Série Relações Diplomáticas: Itália – Américo Vespúcio

SOBRE O BLOCO

Os elementos usados no bloco, sobre um fundo azul, remetem à vida de Américo Vespúcio. São mapas, cartas, panoramas de Florença (Itália) e Arraial do Cabo (Brasil). Abaixo, à esquerda, uma imagem da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, de 1506, construída em pau-a-pique, primeira igreja onde foi celebrada uma missa no Brasil e o Obelisco Américo Vespúcio, na Praia dos Anjos, que marca o local onde aportou, em 1503, a primeira armada portuguesa. Abaixo, à direita, o Pórtico de Arraial do Cabo e a logomarca do Ano da Itália no Brasil, que ocorrerá em 2011. O selo superior retrata o navegador florentino Américo Vespúcio ainda na juventude, e, no inferior, sua imagem na maturidade, já reconhecido como desbravador do Novo Mundo, famoso, inclusive, por suas narrativas sobre as terras descobertas. Os selos mostram, também, caravelas típicas dos séculos XV e XVI.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 7
Arte: Maria Maximina
Processo de Impressão: offset
Bloco com 02 selos
Papel: cuchê gomado com fosforescência
Valor facial: R$ 2,40 cada selo
Tiragem: 150.000 blocos
Data de emissão: 10/5/2010
Locais de lançamento: Arraial do Cabo/RJ e Curitiba/PR
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852100744
--------------------------------------------------------------------------------
 12 de maio de 2010
 

8 - Emissão Especial - 5º Jogos Militares Mundiais – Rio 2011

SOBRE O SELO

Em destaque, à direita, no selo, a logomarca dos 5º Jogos Mundiais Militares, a serem realizados no mês de julho de 2011, na cidade do Rio de Janeiro. Em linhas estilizadas, a logomarca simboliza a pomba da paz e a finalidade do Conselho Internacional do Desporto Militar, de fomentar a paz e a amizade entre os militares,por meio do desporto. Ao centro, é mostrada a legenda indicativa da competição, e, abaixo, o slogan: “Os Jogos da Paz”, o qual sinaliza o maior evento do desporto militar mundial. As bordas do selo, em amarelo dourado, valorizam, harmoniosamente, o conjunto apresentado. Foi utilizada a técnica de desenho vetorial.

DETALHES TÉCNICOS
 
Edital nº 8
Arte: Pedro Henrique Mendes Garcia
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: cuchê gomado com fosforescência
Valor facial: R$ 2,00
Tiragem: 300.000 selos
Área do Desenho: 35mm x 25mm
Dimensões do Selo: 40mm x 30mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 10/5/2010
Local de Lançamento: Rio de Janeiro/RJ
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de Comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852008520
---------------------------------------------------------------------------------
 13 de maio de 2010
 

9 - Série Brasília – Sonho e Realidade:
Monumentos e XVI Congresso Eucaristico Nacional

SOBRE O BLOCO

O bloco reproduz, em tons escuros e linhas claras, monumentos arquitetônicos consagrados de Brasília: no selo à direita, o Catetinho (a primeira residência oficial do Presidente da República, na nova capital), e a estátua de Juscelino Kubitschek (do Memorial JK). No selo à esquerda, a Catedral Metropolitana (tendo, à sua direita, a logomarca do XVI Congresso Eucarístico Nacional. Ilustrando o bloco, à esquerda, a logomarca do cinquentenário de Brasília), no centro, a estátua dos Candangos, unindo os dois selos, formando um se-tenant, e, nos extremos, as mais novas e belas obras arquitetônicas da cidade, o Museu Nacional (junto à Biblioteca Nacional/Conjunto Cultural da República) e a Ponte JK. O bloco, no formato de um pássaro, mostra, na parte superior, em linhas tênues, o esboço do Plano Piloto, sobre um pano de fundo composto, que representa o céu e o gramado da Esplanada dos Ministérios, nas tonalidades predominantes em abril, mês da inauguração de Brasília. Foram utilizadas as técnicas de fotografia, desenho vetorial e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 9
Artista: Míriam Guimarães
Processo de Impressão: Offset + semi-corte diferenciado no formato do bloco
Bloco com 02 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$2,70 cada selo
Tiragem: 150.000 blocos
Área de desenho: 40mm x 40 mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Dimensão do bloco: 148mm x 105mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 13/5/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
(este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional.)
Código de comercialização: 852100736
-----------------------------------------------------------------------------------
4 de junho de 2010


10 - Emissão Especial - Série Arquitetura e Festas Religiosas:
Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito - Cuiabá/MT

SOBRE O SELO

O selo reproduz, ao centro, a fachada da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, um dos marcos históricos de Cuiabá, capital do Estado do Mato Grosso. Construída, originalmente, em taipa, em meados do século XVIII, caracteriza-se pela simplicidade de suas linhas arquitetônicas. No canto esquerdo, a imagem de Nossa Senhora do Rosário e, no direito, a de São Benedito, santo de grande devoção entre o povo mato-grossense. Acima da imagem da Igreja, são mostrados romeiros e bandeirinhas que lembram a Festa de São Benedito, uma das mais populares do Centro-Oeste brasileiro, sob um fundo nas cores da bandeira estadual. Foram utilizadas as técnicas de desenho vetorial e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 10
Arte: Ariadne Decker/Meik
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Valor facial: R$1,10
Tiragem: 300.000 selos
Data de emissão: 4/6/2010
Local de lançamento: Cuiabá/MT
Peça filatélica: cartão-postal (Tiragem: 3.000)
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852008457
-------------------------------------------------------------------------------
6 de junho de 2010


11 - Série Arquitetura e Festas Religiosas: Festa do Divino Pai Eterno - Trindade/GO

SOBRE O SELO

O selo traz, em destaque, a imagem do Divino Pai Eterno e o Santuário Basílica, localizado em Trindade, Estado de Goiás, sob um fundo com traços radiantes. Abaixo, um carro de boi, sinalizando a tradicional procissão, que reúne milhares de romeiros em sua festa, realizada no mês de julho. Foram utilizadas as técnicas de desenho com lápis de cor e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital n.º 11
Arte: Anderson Lima
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$0,70
Tiragem: 600.000 selos
Data de emissão: 6/6/2010
Local de lançamento: Trindade/GO
Código de comercialização: 852008538
--------------------------------------------------------------------------
11 de junho de 2010

12 - Série Copa do Mundo 2010 - África do Sul

SOBRE O SELO

O selo mostra, parcialmente, ao centro, em formato circular, uma imagem da América do Sul e da África, com os mapas do Brasil e da África do Sul (país sede) cobertas por suas respectivas bandeiras nacionais. Na faixa que circunda o selo, as bandeiras nacionais das demais nações que participam da Copa do Mundo 2010 e o desenho estilizado de dois jogadores. Essas imagens estão sobrepostas às bandeiras do Brasil e da África do Sul. Foram utilizadas as técnicas de desenho e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 12
Artista: Alan Magalhães
Processo de Impressão: Offset, folha com 28 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 2,55
Tiragem: 350.000 selos
Área de desenho: 35 mm x 35 mm
Dimensões do selo: 35 mm x 35 mm com um círculo de 29 mm de diâmetro
Picotagem: 11,5 x 11,5 x 11,5
Data de emissão: 11/6/2010
Local de lançamento: Rio de Janeiro / RJ
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013
Código de comercialização: 852008597
---------------------------------------------------------------------------------
14 de junho de 2010


13 - Homenagem ao Paleontólogo Peter Lund e à Lagoa Santa/MG

SOBRE O SELO

O selo mostra, ao fundo, uma caverna localizada no interior do município de Lagoa Santa, no Estado de Minas Gerais, onde o Paleontólogo dinamarquês Peter Lund realizou suas mais importantes pesquisas e descobertas, e viveu a maior parte de sua vida, no século XIX. Ao centro, a imagem do pesquisador, na maturidade, simboliza sua dedicação à ciência e o apreço à Lagoa Santa. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 13
Artista: Jamile Costa Sallum
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 35mm x 25mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 14/6/2010
Local de lançamento: Lagoa Santa/MG
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional)
Código de comercialização: 852008562
-------------------------------------------------------------------------------
28 de junho de 2010


14 - Série Relações Diplomáticas: Brasil-Síria – História e Turismo

SOBRE O SELO

No selo, à esquerda, são retratados três aspectos do Rio de Janeiro, símbolos de lazer para os turistas e população carioca. Em primeiro plano, na parte central, a Baía da Guanabara, com o imponente Pão de Açúcar. No canto esquerdo, a estátua do Cristo Redentor, eleita uma das sete maravilhas do mundo moderno, de braços abertos, num gesto de acolhimento, típico da hospitalidade brasileira. Na parte inferior direita, o Calçadão de Copacabana, com suas caprichosas ondas, desenhadas com pedras portuguesas formam um belo mosaico. No canto esquerdo, são mostradas imagens parciais do Forte de Copacabana, ícone de um passado rico em episódios políticos, transformado, nos anos 80, em centro mantenedor da memória militar, sede do Museu Histórico do Exército, importante polo de difusão cultural. No selo, à direita, é apresentada a Síria, na beleza rústica de Maalula, antiga cidade montanhosa, situada a noroeste de Damasco. Sua população ainda fala o aramaico. Ao centro, em faixa transversal, as bandeiras nacionais do Brasil e da Síria, com flores (orquídeas/Laelia purpurata sanguinea por Anselmo Hoff e Laelia purpurata venosa por Hardt, considerada a rainha do Brasil e jasmins brancos/Jasminum grandiflorum, símbolo de Damasco, que representa pureza, suavidade virtude e honestidade) nas extremidades, simbolizando o elo entre os dois países, no contexto da emissão conjunta. Foi utilizada a técnica de desenho com tinta PVA sobre papel..

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 14
Arte: Luciomar S. de Jesus
Processo de Impressão: offset, folha com 24 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$2,00
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 54mm x 20mm
Dimensões do selo: 59mm x 25mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 28/6/2010
Local de lançamento: Brasília/DF, Damasco/Síria
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
Código de comercialização: 852008546
-----------------------------------------------------------------------------------
6 de julho de 2010


15 - Série Relações Diplomáticas - Brasil - Maláui

SOBRE O BLOCO

O bloco mostra, na imagem de fundo, em tons pardos que lembram a savana africana, uma vista aérea do Lago Maláui, cujo contorno alongado reporta ao formato de um peixe, na cor escura. Trata-se de um dos maiores depósitos aquáticos do continente africano, com uma grande diversidade de peixes ornamentais, especialmente Ciclídeos. Três deles são representados nos selos, exibindo suas formas e brilho num colorido vibrante. Compondo as imagens, são apresentadas as bandeiras nacionais do Brasil e de Maláui. Foram utilizadas as técnicas de desenho vetorial sobre fotografia, retoques a mão e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 15
Artista: Carlos M. Horcades
Processo de Impressão: Offset, Bloco com 3 selos
Papel: Cuchê gomado com fosforescência
Valor facial: R$ 2,00 cada selo
Tiragem: 150.000 blocos
Área de desenho: 40mm x 30mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Dimensões do bloco: 127mm x 95mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 6/7/2010
Local de lançamento: Brasília / DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
Código de comercialização: 852100760
---------------------------------------------------------------------------------
17 de julho de 2010


16 - Vila Inglesa de Paranapiaçaba - O Paraíso no Sul de São Paulo

SOBRE O SELO

O selo mostra uma locomotiva a vapor em movimento, conhecida pela população brasileira como Maria Fumaça. Sobre fundo na cor verde, a Mata Atlântica da Serra do Mar e uma vista parcial da Vila Inglesa de Paranapiacaba, localizada no interior do município de Santo André, no Estado de São Paulo, com suas casas e alojamentos em estilo inglês. É mostrada, ainda, em destaque, a torre de tijolos maciços com sua peculiar cúpula e o característico relógio londrino da estação ferroviária, que confere uma atmosfera britânica ao local. O conjunto de edificações e o entroncamento ferroviário ali existente é um dos mais significativos exemplos da arquitetura e da engenharia ferroviária inglesa de fins do século XIX. A estação ferroviária, atualmente, é um dos ícones do turismo local. Foram utilizadas as técnicas de desenho e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 16
Artista: Darlan Rosa
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 40 mm x 30 mm
Dimensões do selo: 40 mm x 30 mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 17/7/2010
Local de lançamento: Santo André/SP
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
-------------------------------------------------------------------------
22 de julho de 2010


17 - Série Relações Diplomáticas - Brasil - Egito

SOBRE O SELO

O selo reproduz a fachada principal do magnífico Templo de Ramsés II, que integra o complexo de Templos de Abu Simbel (com 33 metros de altura e 38 de largura),constituída por quatro estátuas de Ramsés II, ostentando a coroa dupla da unificação entre o Alto e o Baixo Egito. A segunda estátua foi parcialmente destruída por um terremoto em 27 a.C., encontrando-se,a cabeça e o tronco, próximos à entrada do templo. Entre as pernas das estátuas maiores há estatuetas que simbolizam alguns familiares desse grande soberano egípcio. Na parte inferior do selo são apresentadas inscrições em hieróglifos, sinais da escrita usada, entre outras civilizações, também no Antigo Egito. A imagem evoca, por meio de suas grandiosas formas arquitetônicas, a solidez e opulência do tempo dos faraós. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 17
Arte: Sérgio Eduardo Sakall
Processo de Impressão: offset, folha com 30 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$1,05
Tiragem: 300.000 selos
Picotagem: 11,5 x 12
Área de desenho: 40mm x 30mm
Dimensões do selo: 40 mm X 30 mm
Data de emissão: 22/7/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
----------------------------------------------------------------------------
28 de julho de 2010


18 - 150 Anos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

SOBRE O SELO

O selo apresenta a imagem da logomarca que comemora o sesquicentenário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ela sintetiza, por meio das cores da bandeira nacional, o sentimento de brasilidade, e o orgulho pelo trabalho desenvolvido ao longo de tantas décadas em prol do povo e do setorn primário brasileiro, o qual incorpora, em seu slogan – “150 anos abastecendo o Brasil, produzindo para o mundo”, o aspecto internacional do agronegócio. Foram utilizadas as técnicas de desenho vetorial e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 18
Arte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Arte-finalização: ECT
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 25mm x 35mm
Dimensões do selo: 30mm x 40mm
Picotagem: 12 x 11,5
Data de emissão: 28/7/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
-------------------------------------------------------------------------------
28 de julho de 2010


19 - 150 Anos do Ministério dos Transportes

SOBRE O SELO

Para assinalar o sesquicentenário da Instituição, o Ministério dos Transportes homenageia, no selo, seu patrono, Irineu Evangelista de Sousa, o Barão e Visconde de Mauá. Empresário,banqueiro e político, Mauá foi o responsável pela construção das primeiras ferrovias brasileiras e grande incentivador da industrialização no País.As cores e texturas criam uma atmosfera histórica que ressaltam o aniversário do Ministério e seu importante trabalho ao longo de 150 anos. Foram utilizadas as técnicas de ilustração e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 19
Arte: Sílvio Rodrigues
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 35mm x 25mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 28/7/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
-----------------------------------------------------------------------
12 de agosto de 2010

20 - Plantas Têxteis: Algodão, Cairo, Juta e Sisal

SOBRE OS SELOS

A quadra retrata quatro plantas têxteis muito conhecidas no Brasil, e de grande importância econômica: o algodão, o cairo (fibra de coco), a juta e o sisal. Em cada selo são mostrados produtos confeccionados com a matéria-prima derivada desses vegetais, como bolsas, cordas, tecidos e vasos. Foram utilizadas as técnicas de desenho em calcografia e computação gráfica.

Mais alguns detalhes sobre a emissão (do edital):

Esta emissão filatélica aborda quatro plantas têxteis: algodão, cairo, juta e sisal, que se destacam, significativamente, no Brasil, por sua importância econômica e social

Algodão

O algodão é uma fibra comumente branca ou esbranquiçada, obtida dos frutos de algumas espécies do gênero Gossypium hirsutum, Família Malvaceae. Existem muitas espécies nativas de áreas tropicais da África, Ásia e América, e, desde o final da última glaciação, há milhares de anos, vem se fazendo uso do algodão. Atualmente, somente quatro espécies são utilizadas, em larga escala, para a confecção de tecidos e instrumentos médicos. As propriedades físicas da fibra determinam sua qualidade ou valor tecnológico, conforme sua finalidade. Em outros tempos, o valor do algodão era considerado apenas com base no comprimento da fibra e na variedade comercialmente mais aceita. Após a descoberta do Brasil, em 1500, exploradores portugueses observaram indígenas produzindo artigos da fibra do algodão, muitos dos quais preservados no Museu Nacional do Rio de Janeiro. Conhecido, na época, como Ganga, o algodão primitivo pode, ainda hoje, ser encontrado em condições silvestres em algumas das mais inacessíveis e remotas regiões do País. O algodão vem sendo cultivado, de modo efetivo, no Brasil, desde 1570, podendo-se afirmar que, no final do século XVII, já era cultivado em grande parte do País (São Paulo, Minas Gerais, Pará e em diversas áreas do Nordeste), e considerável quantidade exportada para a Europa. No período entre 1781 e 1800, o Brasil foi a principal fonte de suprimento de algodão de Lancashire, na Inglaterra. Esse processo permaneceu até os Estados Unidos tornarem-se fortes competidores no comércio internacional. A cotonicultura brasileira revelouse uma atividade altamente lucrativa. Posteriormente, quando o algodão norte-americano assumiu sua supremacia, a indústria algodoeira brasileira ressentiu-se. O Nordeste intensificou a cultura da cana-de-açúcar, e o Sul do País, expandiu a do café. Com a abolição da escravatura em 1888, os grandes cotonicultores brasileiros abandonaram a atividade e o algodão passou a ser cultivado em pequenas áreas, cuja produção era suficiente apenas para atender a demanda local. No início do século XX, as perdas sofridas nas indústrias nacionais de borracha e de café, coincidindo com a escassez dos estoques mundiais do algodão, direcionaram a atenção de muitos produtores para essa cultura agrícola. Nessa época, a produção nacional era estimada em 187.500 toneladas anuais de algodão em pluma, e o Brasil ocupava a quinta posição entre os maiores produtores. A baixa oferta, o elevado preço do algodão no mercado internacional, e a demanda crescente do mercado nacional reavivaria a “febre” da cotonicultura brasileira, cujos indicadores positivos se consolidariam ao longo do século passado. O Estado da Paraíba se constituiu no mais importante núcleo de produção de algodão do Nordeste, onde, por certo, já era intensamente cultivado no século XVIII. A lavoura algodoeira paraibana seguiu a mesma rota da cotonicultura pernambucana. Seu cultivo se iniciou junto aos canaviais do litoral, para depois ocupar as regiões do Agreste e do Brejo, e instalar-se definitivamente na Caatinga, no Sertão. No Agreste, o auge da lavoura algodoeira aconteceu entre o final do século XVIII e a primeira década do século XX, prevalecendo, nessa ocasião, o aumento da demanda de algodão em função das inovações do setor de fiação durante a Revolução Industrial, o que refletiu, positivamente, na cotonicultura nacional. O Agreste, então, passou a se constituir na principal região algodoeira da Paraíba e do Nordeste brasileiro. A pecuária foi uma grande aliada nessa expansão, permitindo ao algodão desenvolver-se em áreas de clima mais quente e seco, na Caatinga, onde se fixaria em definitivo. Essa bem-sucedida “parceria” viria beneficiar a agropecuária nordestina, dando origem ao conhecido binômio boi-algodão, que passaria a dominar a paisagem tanto do Sertão quanto do Agreste. Da semente do algodão extrai-se óleo, e, do seu resíduo, fazia-se uma torta usada como ração animal. Além disso, o gado era solto a pastar sobras das demais culturas com as quais o algodão era consorciado. Após a colheita, a folhagem do próprio algodão era utilizada na alimentação do gado. Desse modo, a atividade algodoeira integrou-se perfeitamente à pecuária. Por meio dessa integração foram dirimidos os riscos de prejuízos com o algodão, ora pela oscilação natural de preços, ora pelas rigorosas secas periódicas, muito frequentes na região. A pecuária se constituía na principal atividade econômica regional, e o algodão ganhava caráter de cultura agrícola permanente, além de compor uma renda adicional para o produtor. E a Paraíba se transformaria, do final do século XIX a meados dos anos 1930, no estado de maior produção algodoeira do Brasil. A partir de então, a Paraíba perdeu a hegemonia da produção, e Campina Grande, do comércio de algodão, para o Estado de São Paulo. A crise do café levou tradicionais cafeicultores a aplicarem capital na produção algodoeira. No entanto, o dinamismo exercido pela cultura consolidou muitos benefícios à vida econômica e social paraibana, e Campina Grande ainda permanece sendo o maior centro comercial do estado e um dos mais importantes da região Nordeste. O negócio do algodão impulsionou as demais atividades produtivas, diversificando e incrementando intensivamente a economia local e regional.

Cairo

A fibra de coco, também chamada Coir ou Cairo provém do coqueiro comum (Cocos nucifera). É a única fibra de fruta que é usada, comercialmente, em grande volume. O coqueiro é plantado na Índia desde a antiguidade. Lá ele é chamado de “Árvore do Bem- Estar” ou “Árvore do Céu”. Desde 1840 o plantio é feito em grande escala. O coqueiro existe em todos os países tropicais, em inúmeras variedades. Os maiores produtores mundiais são Filipinas, Indonésia, Índia, Sri Lanka e Tailândia. Na América Latina, o México, Brasil, e Venezuela lideram a produção. Atualmente, a Índia é líder mundial na comercialização desse produto, com 1,02 bilhão de toneladas de fibra produzidas por ano. No Brasil, a produção atinge, anualmente, 40 milhões de toneladas de fibra. O coqueiro produz flores e frutos ao mesmo tempo, e faz a colheita durante todo o ano. Seu uso pela indústria é muito variado: manufatura de colchões para salto, tapetes, capachos, cordame especial para navios, escovas, vassouras, material de enchimento ou almofadas, e para fabricação de madeira prensada, utilizada na construção de casas, entre outros. A fabricação de mantas de fibra de coco para reflorestamento facilita o início do processo de sucessão ecológica e projetos de recuperação ambiental de mata ciliar, reflorestamento em áreas erodidas, degradadas e, inclusive, em locais de difícil acesso como pedreiras íngremes. Suas mantas também são utilizadas para embalar buquês, ramalhetes e flores em vaso. As fibras são amplamente utilizadas na jardinagem e decoração, na fabricação de vasos, e como substrato no plantio de orquídeas, substituindo completamente o xaxim, cuja extração é proibida no Brasil. A indústria automobilística faz grande uso da fibra de coco. No Brasil, desde 1994, uma grande montadora utiliza a fibra de coco na fabricação de encostos de cabeça para seus caminhões, e, desde 1999, o produto também compõe os assentos dianteiros de um modelo de automóvel da mesma empresa. A fibra oferece muitas vantagens em relação às espumas de poliuretano, que são geralmente usadas nos estofamentos, por ser biodegradável, e menos volumosa em relação à sintética.

Juta

A juta (Corchorus capsularis) é uma fibra têxtil vegetal que provém da Família Tilioideae. Essa erva lenhosa alcança de 3 a 4 metros de altura e o seu talo tem uma grossura de aproximadamente 20 milímetros, crescendo em climas quentes e úmidos. As plantas florescem 4 a 5 meses depois de semeadas e, então, inicia-se imediatamente a colheita. A fibra útil é contida entre a casca e o talo interno e a extração é feita pelo processo da maceração. As árvores cortadas rente ao solo, por meio de foices, são limpas das folhas, postas em feixes em água corrente ou mesmo parada. A alta temperatura das regiões nas quais é cultivada favorece a fermentação e, dessa forma, consegue-se a maceração de 8 a 10 dias, permitindo, assim, a fácil retirada da casca da planta e separação da fibra da parte lenhosa do talo, sendo, em seguida, enxaguada e empacotada. As melhores qualidades de juta distinguem-se pela robustez das fibras e pela cor branca e brilhante do talo. As de qualidade inferior possuem talos mais escuros e menor comprimento das fibras, de cor mais acinzentada, tendo menor resistência. Até os anos 1930, o Brasil dependia, exclusivamente, da juta importada da Índia. Introduzida no Brasil por Ryota Oyama, foi cultivada inicialmente por imigrantes japoneses, que criaram a variedade designada “Oyama”. Difundida na região amazônica, chegou a representar 30% da economia do Estado do Pará.

Sisal

Originário do México, o sisal ou agave (Agave sisalana) foi introduzido no Brasil por volta de 1903, e, a partir dos anos trinta, ganhou grande importância econômica no Nordeste. O Brasil é o principal produtor mundial, atendendo a 60% da demanda, produzindo cerca de 140 mil toneladas ano, sendo o Estado da Bahia responsável por 95% da produção nacional. O sisal é uma cultura de exportação, com aproximadamente 80% destinada ao mercado externo, constituindo-se em uma grande alternativa econômica importante para pequenos produtores do semi-árido nordestino, inseridos nas regiões sisaleiras dos estados da Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, onde cerca de quinhentas mil pessoas dependem desta cultura para sobreviver. A fibra do sisal é utilizada para fabricação de cordas, cordéis, fios, tapetes, papel, e no artesanato. Mais recentemente, vem sendo difundida e utilizada como componente natural de peças de automóveis (painéis, revestimentos, assentos, pára-choques), em mobília, na construção civil, na fabricação de telhas em substituição ao amianto e em divisórias.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 20
Arte: Cecília Langer
Processo de Impressão: offsete + calcografia, folha com 24 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$ 2,00 cada selo
Tiragem: 600.000
Picotagem: 11,5 x 11,5
Área de desenho: 33mm x 33mm
Dimensões do selo: 38 mm X 38 mm
Data de emissão: 12/8/2010
Locais de lançamento: Brasília/DF, Campina Grande/PB, Conde/BA, Manacapuru/AM e Valente/BA
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
------------------------------------------------------------------------------
1 de setembro de 2010


21 -Série Clubes de Futebol – Rumo à Copa 2014:
Centenário do Sport Club Corinthians Paulista
SOBRE O SELO


O selo destaca a imagem da logomarca do Centenário do Corinthians, representação simbólica que combina o tradicional escudo do Clube com o número “100”, em toda sua grandiosidade, indicativo do Centenário, celebrado com fervor por todos os seus torcedores. Foi utilizada a técnica de computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 21
Processo de Impressão: Offset, folha com 30 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 1,05
Tiragem: 600.000 selos
Área de desenho: 35mm x 25mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 1º/9/2010
Local de lançamento: São Paulo/SP
Peça filatélica: 2 cartões-postais
Tiragem: 10.000 de cada
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
-----------------------------------------------------------
7 de setembro de 2010



22 - Série América - Símbolos Nacionais

SOBRE OS SELOS



Os selos retratam, em uma perspectiva dinâmica, sobre um fundo dourado que exalta sua importância, os quatro símbolos nacionais do Brasil, de grande valor institucional, reconhecidos e valorizados pela população: as Armas Nacionais (com perspectiva em relevo), a Bandeira Nacional (vista tremulando), o Selo Nacional (sobre um lacre na cor vermelha) e o Hino Nacional (com o pódio, a partitura e a batuta). No canto direito de cada selo a logomarca da União Postal das Américas, Espanha e Portugal – UPAEP. Foram utilizadas as técnicas de desenho e computação gráfica.
O texto acima consta do edital. A seguir, resultado de pesquisa, relacionada a cada selo da quadra:

O Brasão das Armas Nacionais, que deve ser usado obrigatoriamente nos edifícios-sede do governo federal, no poder legislativo e no poder judiciário, além de nos quartéis da marinha, do exército e da aeronáutica, no corpo de bombeiros, na polícia militar e nos navios de guerra. As armas nacionais também devem estar presentes nas fachadas das escolas públicas e nos papéis oficiais das publicações dos órgãos federais.

A Bandeira nacional é um dos símbolos mais populares do Brasil e foi criada por Teixeira Mendes e Miguel Lemos. Particiraram ainda do projeto o Professor Manuel Pereira e a execução do desenho foi de Décio Vilares. Cada cor e detalhe contidos na bandeira nacional tem um significado. As dimensões e a proporção do desenho da bandeira são especificados em normas legais, assim como as regras para seu hasteamento obrigatório e as condições em que podem ser. As estrelas da bandeira nacional representam os estados brasileiros e a legenda “Ordem e Progresso” é um resumo de outro de autoria de Auguste Comte “o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim.”. As cores da bandeira representam o espaço, a natureza, as riquezas, o céu e o branco a paz que deve reinar no país. O dia da bandeira nacional é comemorado em 19 de novembro.

O Selo Nacional que deve ser usado para autenticar todos os atos do governo federal, assim como certificados e diplomas emitidos por estabelecimentos oficiais de ensino.

O Hino Nacional tem letra de Joaquim Osório Duque Estrada e música de Francisco Manuel da Silva. Ele deve ser executado nas seguintes ocasiões: solenidades oficiais do governo, momentos cívicos, competições e jogos esportivos, no hasteamento da bandeira nacional e nas cerimônias de formatura e outras cerimônias formais cívicas.

DETALHES TÉCNICOS


Edital nº 22
Artista: João Guilherme
Processo de Impressão: Ofsete Folha com 24 selos
Papel: Cuchê gomado sem fosforescência
Valor facial: R$ 1,05 cada selo
Tiragem: 600.000 selos
Área de desenho: 38mm x 38mm
Dimensões do selo: 38mm x 38mm
Picotagem: 11,5 x 11,5
Data de emissão: 7/9/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional.)


--------------------------------------------------------------
20 de setembro de 2010


23 - 13ª Conferência da Associação de Impressores Governamentais de Selos Postais

SOBRE O SELO

O selo focaliza elementos do turismo e da cultura carioca que remetem à 13ª Conferência da Associação de Impressores Governamentais de Selos Postais, no Rio de Janeiro, pela primeira vez realizada no Brasil: os inconfundíveis Arcos da Lapa, o Cristo Redentor, Copacabana e seu famoso calçadão, o Carnaval, e o Pão de Açúcar, estilisticamente caracterizado em verde e amarelo. No selo estão sintetizados processos de impressão, como a policromia, que define melhor as cores, e também são usados na confecção de Selos Postais de alta qualidade. No centro, em destaque, a logomarca da 13ª Conferência, onde foi aplicado relêvo seco. Foram utilizadas as técnicas de desenho vetorial, calcografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 23
Artista: E. Mynssen
Processo de Impressão: Offset, folha com 24 selos
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$ 2,00
Tiragem: 300.000 selos
Área de desenho: 33mm x 33mm
Dimensões do selo: 38mm x 38mm
Picotagem: 11,5 x 11,5
Data de emissão: 20/9/2010
Local de lançamento: Rio de Janeiro/RJ
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/ bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
--------------------------------------------------------------
21 de setembro de 2010



24 - 2010 – Ano Internacional da Biodiversidade:
Agroecologia e Agricultura Orgânica

SOBRE O BLOCO

Composto por dois selos, o bloco divulga o Ano Internacional da Biodiversidade – 2010, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2006. No selo da esquerda, é mostrado o tomate (Lycopersicon esculentum), fruto do tomateiro (Solanum lycopersicum), um dos mais populares vegetais, de produção orgânica. No selo da direita, um canteiro orgânico de verduras folhosas. Acima, na composição do bloco, a logomarca da Exposição Mundial de Filatelia – Portugal 2010 e a logomarca do Ano Internacional da Biodiversidade, que apresenta três componentes fundamentais: o ano 2010 e os outros elementos iconográficos, que simbolizam a biodiversidade (peixes, ondas, um flamingo, o ser humano – um adulto e uma criança, e uma árvore) e, abaixo, o título – 2010 Ano Internacional da Biodiversidade. Foram utilizadas as técnicas de pintura a guache e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 24
Artista: Paulo Baptista
Processo de Impressão: Offset + verniz fosco
Bloco com 2 selos
Papel: Cuchê gomado com fosforescência
Valor facial: R$ 2,40 cada selo
Tiragem: 150.000 blocos
Área de desenho: 40mm x 30mm
Dimensões do selo: 40mm x 30mm
Dimensão do bloco: 110mm x 70mm
Picotagem: 11,5 x 12
Data de emissão: 21/9/2010
Local de lançamento: Curitiba/PR
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
-------------------------------------------------------------
22 de Outubro de 2010
24 (2) Natal 2010
 
SOBRE OS SELOS
 
Aguardando informações
 
DETALHES TÉCNICOS
 
Aguardando a emissão do Edital

__________________________________
24 de outubro de 2010


25 - Série Relações Diplomáticas: Brasil - Zâmbia

SOBRE OS SELOS

Cinco dos selos mostram animais, conhecidos como os Big Five, típicos da fauna da Zâmbia: Búfalo Africano (Syncerus caffer), Elefante Africano (Loxodonta africana) Leão (Panthera leo), Leopardo (Panthera pardus) e o Rinoceronte Preto (Diceros Bicornis). São apresentados com as características que lhes são inerentes, na savana africana, seu ambiente natural. O sexto selo apresenta uma vista parcial da Victoria Falls, a mais extensa queda d’água do mundo, com 1.708 metros, situada na fronteira entre a Zâmbia (Parque Nacional de Mosi-oa-Tunya) e o Zimbabwe (Parque Nacional das Cataratas Vitória), declarados, em conjunto, em 1989, Patrimônio da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO. Os nomes científicos dos animais estão grafados em micro letras. Foram utilizadas as técnicas de desenho à grafite, pintura a aquarela e tratamento em computação gráfica.

MAIS SOBRE OS TEMAS DOS SELOS

Série Relações Diplomáticas: Brasil-Zâmbia

Uma Zâmbia, Uma Nação!

Os Correios do Brasil, em parceria com a Embaixada da Zâmbia, em Brasília, efetivam esta emissão de selos divulgando os “Cinco Grandes” representantes da fauna africana: o Elefante Africano, o Búfalo Africano, o Leão, o Leopardo e o Rinoceronte Preto, assim como as Cataratas Vitória, entre a Zâmbia e o Zimbábue.

Por sua essência universal, a Filatelia brasileira, com o intuito de aproximar as nações, tem buscado divulgar na “Série Relações Diplomáticas” motivos que representem aspectos relevantes das culturas de outros países, com o objetivo de torná-los conhecidos no Brasil e no mundo. A importância desta Série reside na possibilidade de imprimirmos, em nossos selos, os destaques universais que encantam em vários contextos. É o caso da fauna africana.

Elefante Africano (Loxodonta africana)

O Elefante Africano, o maior dos mamíferos terrestres, tem uma expectativa de vida de até 60 anos. Um macho adulto pode crescer até atingir 4 metros na altura dos ombros e pode chegar a pesar até 6.000 kg. Normalmente vivem em pequenos grupos familiares liderados por fêmeas dominantes ou matriarcais e as manadas geralmente contam entre 2 e 14 elefantes, mas podem expandir-se para a formação de manadas temporárias de até 150 animais. Os elefantes dão à luz filhotes após um período de gestação de 22 meses. Os machos adultos abandonam a manada e, geralmente, preferem viver solitários ou em manadas compostas de elefantes “solteiros”. Grandes manadas desses magníficos animais podem, hoje, ser vistas e apreciadas na maioria dos parques nacionais e nas áreas de conservação ambiental, sendo comumente encontradas em Kafue, Luangwa e nos ecossistemas do baixo vale do rio Zambezi.

Búfalo africano (Syncerus caffer)

Trata-se de um animal derivado dos bovinos, com pesados chifres circulares posicionados nas laterais da cabeça. Atingem uma altura de 1,5 metro nos ombros e podem pesar 720 quilos ou mais. São animais altamente sociáveis, que se movimentam em manadas e que chegam, muitas vezes, a uma população superior a 1.000 indivíduos. A maioria dos filhotes nasce no mesmo período, após uma gestação de 350 dias, e seguem seu caminho junto à manada poucas horas após o nascimento. As manadas de búfalo estão entre as inúmeras paisagens espetaculares que podem ser apreciadas nos parques da Zâmbia. Grandes manadas de até 2.000 cabeças podem ser vistas em Kafue, ao norte e ao sul de Langwa e no Baixo Zambezi.

Leopardo (Panthera pardus)

Um grande e potente felino com pintas pretas que se espalham pela cabeça, pelas patas e pelo corpo. Apesar de ser raramente visto, é um animal comum, cuja presença espalha-se por todo o território da Zâmbia. São felinos predominantemente solitários, altamente reservados, e que se camuflam excepcionalmente. Os leopardos caçam durante a noite e se alimentam de uma grande variedade de presas, mas são capazes de caçar e matar animais muito maiores do que eles. São excelentes escaladores e podem ser vistos com frequência em árvores de copa densa, onde, às vezes, guardam o próprio alimento. Os machos e as fêmeas ocupam territórios distintos. Os filhotes de leopardo nascem em ninhadas de dois ou três indivíduos, após um período de gestação de aproximadamente 100 dias. A população de leopardos tem um papel ecológico significativo, que é, dentre outros, o de manter o equilibrio da população de presas na natureza.

Leão (Panthera leo)

O maior dos felinos africanos. Os leões podem pesar até 200 quilos e podem atingir uma altura de 1,2 metro na altura dos ombros. Os machos são facilmente reconhecidos por sua crina, que pode ter coloração loira, gengibre ou preta. Os leões são predadores sociais que atacam reunidos em bandos de até 20 indivíduos e costumam caçar uma grande variedade de animais, geralmente em locais abertos. As leoas dão até seis crias por ninhada durante qualquer estação do ano e o período de gestação é de 110 dias. Após o nascimento, os filhotes permanecem com suas mães durante os 2 primeiros anos de vida, que poderá durar até os 20 anos. Assim como o leopardo, a população de leões tem um significante papel ecológico na manutenção das populações de presas na natureza. Estes animais são comuns em Kafue e Luangwa, mas, também, podem ser vistos em outros parques do país.

Rinoceronte Preto (Diceros bicornis)

Trata-se de um mamífero diferenciado, de coloração cinza escuro e com dois chifres posicionados no meio da face, sendo o frontal o mais comprido (até 1 metro). Os machos adultos medem, geralmente, 1,5 metro na altura dos ombros e pesam 1.000 quilos ou mais. Os rinocerontes são, por essência, animais solitários, que utilizam seus sensíveis lábios superiores para selecionar seus alimentos preferidos: folhagem de árvores, brotos de arbustos, grama e feno. Os rinocerontes dão à luz uma única cria, que pode nascer em qualquer período do ano após uma gestação de, aproximadamente, 18 meses. É uma espécie considerada em grande risco de extinção. Alvo da caça ilegal entre os anos 70 e 80, a espécie foi dizimada na maioria dos habitats existentes. Como resultado, a população de rinocerontes pretos chegou a ser declarada extinta na Zâmbia, em 1989. Em 2003, foi iniciado um programa de reintrodução dos rinocerontes pelo Projeto Conservação de Langwa do Norte, com fundos da Sociedade de Zoologia de Frankfurt. Até agora, o projeto conseguiu estabelecer, com êxito, uma população fundadora de 25 animais que foram reintroduzidos no Parque Nacional de Langwa do Norte. Hoje, esse é o único parque na Zâmbia onde os “Cinco Grandes” podem ser vistos. Também foi introduzida uma pequena manada de cinco rinocerontes brancos no Parque Nacional Mosi-Oa-Tunya, em Livingstone, a capital turística da Zâmbia. A Zâmbia já foi o lar da maior população de rinocerontes pretos já registrada, que chegava a quase 12.000 indivíduos.

As Cataratas Vitória

As Cataratas Vitória encontram-se a 11 quilômetros de Livingstone, a capital turística da Zâmbia. Situam-se no rio Zambezi, que nasce no Distrito de Mwinilunga, na região noroeste da Zâmbia, e desemboca no oceano Índico. O rio corre pela bacia do Zambezi e atravessa cinco países: Angola, Moçambique, Namíbia, Zâmbia e Zimbábue. As Cataratas Vitória / Musi-Oa-Tunya são consideradas patrimônio mundial desde dezembro de 1989, sob a categoria III - Monumentos Naturais. Trata-se de um local de extrema significância nacional e universal: uma das 7 maravilhas naturais do mundo. Durante certos períodos, o fluxo de água é intenso a ponto de tornar tudo invisível sob o véu das cachoeiras, enquanto o som de trovão da queda de água pode ser ouvido a milhas de distância. O único modo de se ter uma visão completa das cataratas é de cima. As Cataratas Vitória, descritas em termos modernos como a maior cortina de quedas de água do mundo, também é conhecida pelo antigo nome “Musi-Oa-Tunya” (ou “Fumaça Trovejante”), como referência às colunas de spray que se erguem centenas de metros no ar e que podem ser vistas a 32 quilômetros de distância.

Embaixada da República da Zâmbia em Brasília

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 25
Arte: Álvaro Nunes
Processo de Impressão: ofsete + verniz UV sobre os animais
Forma de emissão: sextilha
Folha com 24 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$1,05 cada selo
Tiragem: 480.000 selos
Área de desenho: 1º, 3º,4º e 6º selos: 35,5 mm x 35,5mm - 2º e 5º selos: 38mm x 35,5mm Dimensões do selo: 38mm x 38mm
Picotagem: 11,5 x 11,5
Data de emissão: 24/10/2010
Local de lançamento: Brasília/DF
Impressão: Casa da Moeda do Brasil
Prazo de comercialização pela ECT: até 31 de dezembro de 2013 (este prazo não será considerado quando o selo/bloco for comercializado como parte integrante das coleções anuais, cartelas temáticas ou quando destinado para fins de elaboração de material promocional).
______________________________________

30 de outubro de 2010

26 - Morcegos - famìlias que ocorrem no Brasil

SOBRE OS SELOS

Aguardando informações

DETALHES TÉCNICOS

Aguardando a emissão do Edital